domingo, 29 de junho de 2014

Ex-ministro Armando Monteiro Filho voltou ao PDT.

O ex-ministro Armando Monteiro Filho, pai do senador Armando Monteiro Neto (PTB), voltou ao PDT. A sua filiação foi anunciada há pouco, pelo deputado Federal Paulo Rubem, que marcou presença na chapa Pernambuco vai mais longe na condição de vice-governador.  O ex-ministro é considerado uma das maiores referência da política pernambucana e, agora, retorna à vida partidária justamente em uma legenda na qual militou em defesa do trabalhismo. O PDT, inclusive, realizou a sua convenção Estadual neste domingo sob o comando do seu presidente Nacional, Carlos Lupi, que saiu do Recife para prestigiar a convenção em Caruaru. A vereadora Isabela de Roldão, que teria ficado insatisfeita por ter sido preterida por Paulo Rubem na chapa, também estava presente no palco do evento.

sábado, 28 de junho de 2014

Aliado de Dilma Rousseff, Armando Monteiro deixa convenção do PTB.

O senador e pré-candidato ao Governo de Pernambuco, Armando Monteiro Neto (PTB), manifestou visível irritação com a oficialização do apoio dado pelo PTB à candidatura do senador e presidenciável pelo PSDB, Aécio Neves (MG), durante a convenção nacional do partido, em Salvador. Armando havia viajado à Bahia unicamente com o propósito de usar a influência para convencer o partido a voltar com o apoio à presidente da República Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição. Após a confirmação do apoio ao presidenciável tucano, Armando Monteiro deixou a convenção. Pernambuco é o único Estado brasileiro onde o PTB tem candidatura própria ao Governo. “Eu merecia do partido um mínimo de consideração, que eu pudesse expressar em uma simples consulta, em um diálogo ou uma conversa”, declarou Armando, nesta sexta-feira (27). A candidatura de Armando, a única do PTB a disputar um Governo Estadual nas eleições de outubro, conta com o apoio de Dilma e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), além de ter o PT representado dentro da chapa pelo deputado Federal João Paulo, pré-candidato ao Senado. O senador faz parte dos petebistas que foram contrários ao apoio dado pelo PTB a Aécio. De acordo com o senador, o PTB teria realizado uma solenidade em maio, onde o apoio à Dilma Rousseff teria sido expressado de maneira contundente. “Eu pergunto: o que mudou verdadeiramente de maio para cá? O que aconteceu que pudesse justificar uma inflexão de 360 graus? Onde estão as explicações? Onde está o posicionamento público do partido? Fica na sociedade a dúvida de como e em que circunstâncias se deu esse novo alinhamento do PTB”, disparou Armando. As declarações de Armando foram rebatidas pelo presidente Nacional da legenda, Benito Gama. De acordo com Gama, a bancada do PTB liderada pelo deputado Federal Jovair Arantes (PTB-GO) se juntou ao blocão do PMDB contra a renovação do apoio à Dilma Rousseff, e se mostrou favorável à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. “No almoço com a presidente Dilma, toda a bancada se reuniu antes para tomar o posicionamento contra a reeleição da presidente. Como eu, na condição de presidente do partido, poderia escutar tudo isso tem tomar deliberação?”, questionou. Apesar do apoio ao PSDB em nível nacional, as instâncias estaduais do partido foram liberadas para fazer coligações com o PT, o que deve acontecer em ao menos nove estados, incluindo Pernambuco. O anúncio do apoio a Aécio foi feito em uma nota oficial divulgada pelo próprio Gama para a imprensa no último sábado (21). Na ocasião, Benito disse que a ruptura com o PT foi feita por causa de quebra de acordos envolvendo o lançamento de candidatos em Roraima, no Rio de Janeiro, no Distrito Federal e no Piauí. Ao sair da base de Dilma, os petebistas entregaram os cargos que possuíam no Governo, incluindo a vice-presidência da Caixa Econômica Federal. A convenção desta sexta-feira teve a presença de cerca de cem integrantes do partido. A oficialização do apoio a Aécio foi feita por aclamação, sem votação. Durante o ato, também foram apresentados nomes como possíveis candidatos para a vaga de vice do tucano, que ainda não fechou a chapa. Atualmente, o partido tem seis senadores e 17 deputados federais, além de 40 segundos no horário eleitoral. No total, o PTB tem 1,1 milhão de filiados no Brasil.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Eduardo da Fonte confirma apoio do PP a Paulo Câmara.

Depois de quase três meses de discussão sobre o seu caminho em Pernambuco, o PP, enfim, definiu como irá marchar no Estado. Como especulado, a legenda ingressará na Frente Popular de Pernambuco, que apresenta a candidatura de Paulo Câmara (PSB) ao Governo. O anúncio será feito na próxima sexta-feira (27), no Recife Monte Hotel, sede preferencial dos eventos socialistas.  Em entrevista à Rádio Folha, o presidente da legenda, deputado Federal Eduardo da Fonte, destacou como a escolha se deu. “Ouvimos os 170 diretórios do PP, os diretórios Municipais. Ouvimos as bancadas, a Federal e a Estadual. Então, decidimos, de forma democrática, ficar com Paulo Câmara para a eleição Estadual”, afirmou Eduardo da Fonte, que estava na Convenção Nacional do partido, em Brasília, onde os progressistas confirmaram apoio à reeleição da presidente da República Dilma Rousseff (PT). No entanto, o partido segue indefinido sobre a questão do Senado. Eduardo da Fonte antecipou que um membro da executiva do partido se colocou à disposição para disputar a vaga à Casa Alta. E, portanto, o PP ainda discutirá a questão, mas sem fechar as portas para a possibilidade de marchar como João Paulo ou com Fernando Bezerra Coelho. “Vamos discutir ainda essa questão. Ainda temos tempo, a convenção nossa será no próximo dia 27, mas temos a possibilidade de debater esse ponto até o final do mês”, argumentou Eduardo da Fonte, preferindo manter o nome em reserva. Essa é a primeira vez que o PP divide (ou pelo menos se compromete a dividir) o apoio no âmbito majoritário. Em 2010, muito antes de o falecido deputado Federal Sérgio Guerra indicar a renúncia à tentativa de reeleição ao Senado, os progressistas fizeram um evento para se alinharem com o projeto do tucano. Depois, acabaram marchando com os nomes da Frente Popular, Armando Monteiro Neto (PTB) e Humberto Costa (PT).

Luciana Gimenez diz que Eduardo Campos é “sósia” de Chico Buarque.

“Que belos olhos”, disse a apresentadora Luciana Gimenez assim que o pré-candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, entrou no estúdio do programa “Luciana By Night”, da RedeTV!, para ser entrevistado por quase uma hora. “Herdaste de quem?”, perguntou a ex-modelo, como se não precisasse ouvir a resposta. “Parece o Chico, né?”, sentenciava, enquanto o ex-governador apressava-se para dizer que veio dos avós o azul claro, quase transparente, de seus olhos. Na tela, as fotos de Eduardo e do cantor e compositor Chico Buarque apareciam lado a lado. O socialista, então, abriu um sorriso sem graça - o primeiro de muitos. Em 2011, a polêmica fez com que Ana Arraes, mãe de Eduardo, divulgasse carta para afirmar que o filho é fruto do seu relacionamento com o escritor Maximiano Campos, e que qualquer notícia diferente dessa é “matéria inverídica e caluniosa”. O “Diario Pernambucano” que se autointitula “um site de notícias falsas”, publicou naquele ano artigo em que dizia que o compositor carioca havia reconhecido a paternidade de Eduardo. O texto se espalhou nas redes sociais e muita gente acreditou no boato. Em entrevista gravada na semana passada e exibida na noite de ontem (24), Eduardo falou pouco, ou quase nada, de política.

Quando tentou expor suas ideias sobre a alta dos preços e a ameaça da inflação, crítica que faz com frequência à política econômica da presidente da República Dilma Rousseff (PT), ouviu um desencorajador “estou ficando com depressão” de Luciana Gimenez, sentada à sua frente. A apresentadora preferiu falar sobre os ataques de tubarão nas praias da capital pernambucana, perguntar o signo do ex-governador e sobre a opinião dele a respeito do estudo com células tronco. Ele é favorável, pois. “Sou de leão, mas obedeço bem”, disse o socialista. “Sou favorável [ao estudo com células tronco]”, emendou. Visivelmente constrangido com a diversidade da pauta, o presidenciável tentava completar suas respostas, quase sempre sem sucesso, pois era interrompido a todo momento. Precisou responder até uma piada sobre quantos cocos dava uma certa palmeira. “Sessenta e três”, arriscou de pronto. “Palmeira não dá coco”, divertiu-se Luciana. Após 50 minutos de entrevista, a apresentadora avisou: “Vou falar um pouco de política”. E perguntou sobre a disponibilidade de Eduardo em cumprir agendas e atender jornalistas quando está indisposto. “Não tem isso. Tem que tentar ficar bem”, explicou o ex-governador. “E se tiver com dor de barriga?”, insistiu Luciana. Eduardo então soltou mais um sorriso sem graça. Participar de programas da tevê aberta é uma estratégia da pré-campanha de Eduardo Campos. O ex-governador é pouco conhecido em grande parte do país e aparecer em atrações populares, como o de Luciana Gimenez, na RedeTV!, faz com que ele estabeleça uma relação direta com o telespectador, e eleitor.A ideia é que o presidenciável consiga falar de suas propostas e se fazer conhecer diante da fatia do eleitorado que assiste a esse tipo de programa. Mas com Luciana isso não foi possível. Eduardo, entretanto, conseguiu falar um pouco mais de política no programa de Sônia Abrão, da mesma emissora, do qual participou ao vivo na semana passada. Diante da foto da apresentadora, no entanto, em um jogo proposto pela ex-modelo, em que deveria adivinhar o nome de jornalistas que apareciam na tela, Eduardo não lembrou o nome da apresentadora com quem tinha estado um dia antes. “Sônia Abrão”, soprou Luciana em seu ouvido. “Se eu soubesse que iam me testar, não tinha dito que tenho boa memória”, afirmou o ex-governador de Pernambuco.

Pernambuco: Paulo Câmara sai em busca de apoio da Igreja Católica.

O candidato da Frente Popular de Pernambuco ao Governo do Estado, Paulo Câmara (PSB), foi recebido, nesta quarta-feira (25), pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, para expor algumas diretrizes do seu programa de Governo e ouvir sugestões do religioso. O representante da Igreja Católica entregou ao postulante um documento elaborado no último mês de maio, na 52ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com recomendações e posicionamentos referentes às eleições de 2014. Paulo Câmara repassou o texto da CNBB para a equipe que está elaborando seu programa de Governo e afirmou que há convergências em muitos itens entre o documento e as diretrizes do PSB. “Muitas das preocupações da igreja são nossas também, especialmente na questão social. Tivemos uma conversa muito boa com dom Fernando Saburido. Detalhamos a ele algumas de nossas diretrizes, especialmente na Educação, Saúde e políticas para os jovens”, explicou o candidato. O arcebispo destacou que o documento entregue a Paulo Câmara representa o Brasil defendido pela Igreja Católica e contém muitas ideias para os estados. Ele ressaltou, ainda, a proposta de universalização do acesso às escolas em tempo integral, feita pelo pré-candidato, a qual classificou como “muito importante”. “Gostei do fato de ele ter demonstrado uma grande preocupação com a questão das drogas e da juventude. É um problema que preocupa muito a Igreja Católica. Espero que realmente consigamos ter projetos que possam fazer frente a essa demanda, que é tão grande”, destacou dom Fernando Saburido.

Dilma cede ao PR e tira César Borges do Ministério dos Transportes.

A presidente da República Dilma Rousseff (PT) decidiu fazer mudanças no Ministério dos Transportes para evitar o apoio do PR ao PSDB do senador Aécio Neves, principal concorrente na disputa pelo Palácio do Planalto. O atual ministro César Borges (PR) vai assumir a Secretaria Especial de Portos, enquanto o ex-ministro Paulo Sérgio Passos (PR) volta ao comando da pasta e deixa a presidência da Empresa de Planejamento e Logística (EPL). Essas mudanças serão anunciadas em nota oficial, que será divulgada pelo Palácio do Planalto ainda nesta quarta-feira (25). Dilma se reuniu nesta manhã, no Palácio da Alvorada, com César Borges e o atual ministro da Secretaria de Portos, Antônio Henrique da Silveira, para definir as mudanças. Henrique, que é técnico de carreira do Ministério da Fazenda, vai assumir a Secretaria Executiva da pasta. A bancada Federal do Partido da República rejeitava o nome de Paulo Sérgio Passos e forçou seu afastamento do ministério no ano passado, articulação que levou à nomeação de César Borges. Mas a bancada alega que César Borges é uma escolha pessoal de Dilma Rousseff, e pede a volta de Paulo Sérgio Passos, alegando que ele, pelo menos, recebe os parlamentares do partido, ao contrário do atual ministro.

Paulo Rubem confirmado vice-governador de Armando Monteiro Neto.

O deputado Federal Paulo Rubem Santiago (PDT) acaba de ser anunciado como pré-candidato a vice-governador do Estado de Pernambuco na chapa liderada pelo senador Armando Monteiro Neto (PTB). A divulgação da escolha pelo parlamentar foi feita há pouco, durante ato realizado no escritório político de Armando Monteiro, na cidade do Recife.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

No Rio, Sérgio Cabral desiste do Senado e cede vaga a Cesar Maia.

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB), vai anunciar nesta segunda-feira (23) que abrirá mão da candidatura ao Senado Federal na chapa do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) para o ex-prefeito Cesar Maia (DEM) ocupá-la. A articulação foi selada pelos três ontem (21), com a participação do senador de Minas Gerais e pré-candidato a presidência, Aécio Neves (PSDB), no apartamento do tucano, em Ipanema. Pelo acordo, embora Pezão mantenha a posição de pessoalmente pedir votos para a presidente da República Dilma Rousseff (PT), seu palanque ficará aberto para o presidenciável tucano já que a ampla maioria dos candidatos a deputado Estadual e Federal que integram sua base estará fazendo campanha Nacional para Aécio Neves. De acordo com o Jornal O Globo, formalmente, o ex-prefeito Cesar Maia será o candidato majoritário do tucano no Estado, mas a expectativa é que a formalização da aliança, que dará quase três minutos de TV a mais para Pezão, faça o “Aezão” se alastrar pelos palanques de deputados no Estado. Pelas contas peemedebistas, a chapa de Pezão tem cerca de 1.400 candidatos a deputado Federal e Estadual que poderiam abraçar a candidatura Nacional tucana. O movimento é uma reação formal à aliança do PT com o PSB no Rio. Com a saída de Sérgio Cabral, o deputado Federal Romário (PSB) passa a ser o candidato favorito na disputa pelo Senado no Estado.

“Dilma está ficando isolada no Rio de Janeiro” afirma Garotinho.

O deputado Federal Anthony Garotinho (PR), pré-candidato ao Governo do Rio de Janeiro, afirmou, neste domingo (22), em seu blog que a presidente da República Dilma Rousseff (PT) “nunca esteve tão isolada” no Estado como agora. Ele disse isso motivado pelo anúncio do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) de que não será mais candidato ao Senado Federal, abrindo vaga para o ex-prefeito César Maia (DEM), num acordo costurado por Aécio Neves, pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto. “Conforme eu venho afirmando há bastante tempo, Cabral anunciou a desistência daquilo que ele nunca foi, ou seja, candidato ao Senado. Com a certeza da derrota nas urnas, Cabral queria uma saída honrosa, e conseguiu uma saída, só não sei se foi honrosa. Com isso foi escrito mais um capítulo da novela “Como trair uma presidente”. Cabral, Pezão, Eduardo Paes, Picciani e todo o PMDB - RJ estão de corpo e alma com Aécio Neves, e estão a cada gesto demonstrando isso. A presidente Dilma nunca esteve tão isolada no estado. Não foi por falta de aviso”, publicou Anthony Garotinho.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Caruaru: Paulo Câmara vai ao São João de João Lyra nesta sexta-feira.

O candidato a governador de Pernambuco pela Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), continua a sua maratona de viagens para o interior do Estado neste fim de semana. Ainda considerado desconhecido por grande parte da população, o ex-secretário da Fazenda terá agendas com prefeitos e lideranças políticas locais para apresentar suas propostas e ouvir as demandas de cada cidade. Além dos compromissos de pré-campanha, o socialista participará, na sexta-feira (20), da tradicional festa de São João do governador João Lyra Neto (PSB), em Caruaru, o Forró da Macambira. Junto com os companheiros de chapa Raul Henry (PMDB), que disputa a vice, e Fernando Bezerra Coelho (PSB), postulante ao Senado, Paulo Câmara irá primeiro a um café da manhã em Glória do Goitá, na Mata Norte, com o ex-prefeito Djalma Paes (PSB).

No sábado (21), seguirá para o Agreste Setentrional. A agenda começará em Limoeiro, com uma visita à feira do município. De lá, os candidatos seguirão para Orobó, para almoço com o prefeito Cléber Chaparral (PSD) e depois encontro com o ex-prefeito Manoel João (PSDB) e aliados. A parada seguinte do giro será em Machados. O último compromisso do sábado será em Santa Maria do Cambucá, onde a Frente Popular se reunirá com o grupo do ex-prefeito Mário Lima (PSDB) e conversará com o atual gestor, Robevan de Lima (PSB). No domingo (22), a comitiva chegará a Vertente do Lério, onde terá encontros com lideranças políticas durante toda a manhã. Em seguida, visitará Vertentes, para almoço com o prefeito Allan Kardec (PSDB) e terá mais dois encontros, com os grupos dos deputados Clodoaldo Magalhães e Diogo Moraes (ambos do PSB). A maratona terminará em Frei Miguelinho, com uma conversa com o prefeito Lula da Capivara (PSD), e, em seguida, uma reunião com o ex-prefeito Gilmar Assunção (PSB).

Paulo Rubem não vê desgaste na sua imagem no PDT em Pernambuco.

Já cogitado para assumir a vaga de candidato a vice-governador na chapa de Armando Monteiro Neto (PDT), o deputado Federal Paulo Rubem (PDT) teve a sua imagem considerada desgastada por integrantes do partido e, por isso, as conversas de bastidores são de que não deve entrar na disputa, ficando no lugar dele a vereadora Isabella de Roldão (PDT). Embora prefira o silêncio em relação às afirmações, de fontes que preferem não se identificar, o parlamentar disse que não vê desgaste. “Fiz o que todo político decente deve fazer, defender ideias. Não me senti desgastado. Desgaste é de quem se omite”, disse. Paulo Rubem ressaltou que mostrou à direção Nacional do partido que, em Pernambuco, a legenda estava perdendo espaço, além de não ter constituído oficialmente a direção Estadual, segundo o deputado. O representante de Pernambuco na Câmara Federal negou que ele ou outros representantes do partido já tenham recebido qualquer convite, mesmo que informal, para ser vice de Armando e explicou que essa será uma decisão conjunta entre o partido e a coligação. Mesmo assim, Paulo Rubem prevê que o nome do vice será divulgado na próxima semana, antes da convenção que oficializará as candidaturas da coligação, no próximo dia 29, em Caruaru. Para o parlamentar, a aliança será representativa para o partido. “Isso tudo dá uma virada na história do PDT em Pernambuco”, afirmou. Na avaliação dele, isso permitirá que o partido seja uma legenda grande, representativo e combatido no âmbito estadual. A indefinição que durou até esta quinta-feira (19) no PDT é apontada como motivo para um racha no partido. Enquanto Paulo Rubem defendia o apoio a Armando Monteiro e João Paulo (PT), que sairá a senador, o ex-presidente Estadual da legenda, José Queiroz, desligado hoje, queria formar aliança com a Frente Popular de Paulo Câmara (PSB) e Raul Henry (PMDB). O deputado chegou a ir a evento político com Dilma Rousseff (PT) e Lula no Estado e o prefeito de Caruaru esteve na convenção socialista. (Com informação do Blog de Jamildo)

Isabella de Roldão deve ser vice na chapa de Armando Monteiro Neto.

Considerada por grande parte do PDT com maior poder de agregar o partido, a vereadora do Recife Isabella de Roldão é o nome mais cogitado para ocupar a vaga de vice na chapa de Armando Monteiro Neto (PTB). A direção nacional da legenda comunicou nesta quinta-feira (19) a decisão pela verticalização, seguindo o estatuto lido pelo presidente Carlos Lupi durante a convenção, na semana passada, em que anunciou alinhamento com o PT. Com a determinação do apoio ao PTB, o presidente Estadual, José Queiroz, vai deixar o cargo. A decisão foi comunicada a Carlos Lupi, que ainda tentou insistir na permanência do prefeito de Caruaru na direção. Na legenda há mais de 20 anos, ele esteve na convenção da Frente Popular, realizada no último domingo (15), e dava sinais de apoio aos socialistas e seus aliados. Devido à saída de José Queiroz, o presidente Nacional do partido já começou a ouvir políticos cotados para formar a nova direção do PDT. Entre eles, estão a provável candidata a vice; o outro vereador da legenda no Recife, Rodrigo Vidal; os deputados Estaduais Pedro Serafim Neto e Botafogo Filho e os prefeitos de Agrestina, Thiago Nunes, e de Água Preta, Armando Souto. Outras pessoas ainda serão convidadas para a cúpula até este fim de semana. As divergências entre o grupo de José Queiroz e do deputado Federal Paulo Rubem, a favor do apoio à chapa de Armando, provocaram divergências no PDT. Por isso, setores do partido consideram que o parlamentar, antes cogitado para vice, teve a sua imagem desgastada na legenda. Paulo Rubem agora tentará a reeleição para deputado Federal, assim como Wolney Queiroz, filho de José Queiroz.

PR oficializa apoio à Frente Popular em convenção no Recife.

Em convenção realizada nesta quinta-feira (19), no Recife, o PR definiu o apoio do partido à chapa majoritária da Frente Popular, que tem Paulo Câmara (PSB) e Raul Henry (PMDB) como candidatos a governador e vice-governador. O candidato a senador e ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB) representou os socialistas no evento. Embora não dispute as eleições este ano, após 40 anos ocupando cargos, o deputado federal Inocêncio Oliveira recebeu o ex-ministro. Para a vaga, Inocêncio indicou o deputado estadual Sebastião Oliveira, que vai disputar pela primeira vez uma cadeira na Câmara. Rogério Leão vai brigar para ocupar a cadeira deixada por Sebastião, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Os deputados Estaduais Henrique Queiroz e Alberto Feitosa também tentarão reeleição na Assembleia Legislativa. O total de candidatos a Federal pelo PR é de sete e, para Estadual, oito.

Arcoverde: Prefeita do PTB mobiliza evento em prol de Paulo Câmara.

A prefeita de Arcoverde, Madalena Britto (PTB), deu, na última quarta-feira (18), mais uma prova do seu engajamento na Frente Popular. A gestora e seus aliados reuniram aproximadamente seis mil pessoas no Colégio Cardeal Arcoverde, no Centro, para ouvir Paulo Câmara (PSB), candidato ao Governo de Pernambuco, que estava acompanhado dos postulantes à vice, Raul Henry (PMDB), e ao Senado, Fernando Bezerra Coelho (PSB). Ainda participaram do ato o vice-prefeito Wellington Araújo, também do PTB, os prefeitos tucanos Leonardo Martins (Inajá) e Otaviano Martins (Manarí), além de vereadores, deputados e outras lideranças. O socialista viu com muita alegria a manifestação de apoio das lideranças arcoverdenses e classificou como um “belíssimo ato”. Também garantiu manter e ampliar as ações do Governo Eduardo Campos (PSB) para município e a região. Ele reiterou a proposta de duplicar a BR-232 até Arcoverde e se comprometeu em viabilizar o distrito industrial; medidas que vão melhorar a infraestrutura local e atrair mais empresas. “Seria muito cômodo ter ficado do outro lado (com o candidato do PTB), mas o ex-governador Eduardo Campos foi um amigo do município, cumpriu com todo o prometido para nós; trouxe a Escola Técnica e a UPAe, que estão encaminhadas; e começou a resolver o problema do abastecimento de água. Paulo Câmara representa tudo isso. Inclusive, foi ele que idealizou o FEM, que tem nos ajudado muito”, explicou a prefeita.

Fernando Bezerra Coelho destaca duplicação da Adutora do Jatobá.

Uma das mais importantes obras de infraestrutura do Sertão é o projeto de duplicação da Adutora do Jatobá, localizada em Arcoverde. Orçada em mais de R$ 40 milhões e iniciada em 2013, a obra deverá ficar pronta ainda este ano, beneficiando quase 80 mil pessoas. O candidato ao Senado Federal pelo PSB, Fernando Bezerra Coelho, destacou o incentivo que deu ao projeto enquanto estava no Ministério da Integração Nacional. “Tive a felicidade de ajudar na realização deste projeto, que vai mudar a vida de tanta gente. Nossa meta é garantir que a água chegue às torneiras de todos os pernambucanos”, afirmou. Fernando lembrou que a Adutora do Agreste, a maior obra hídrica em execução no Brasil orçada em mais de R$ 1,2 bilhão, irá beneficiar Arcoverde e região, levando água para mais de 2 milhões de pessoas. “É uma obra importante, que vai livrar milhares de pernambucanos e pernambucanas do racionamento. Estamos levando água para a casa das pessoas, um bem extremamente precioso para todos os nordestinos, mas especialmente para os sertanejos”, disse Fernando, durante a Agenda 40, realizada na noite da última quarta-feira (18), em Arcoverde.

João Lyra vai somando razões para não entrar na campanha em PE.

De acordo com o Blog da Folha de Pernambuco, o governador João Lyra Neto (PSB) sabe muito bem do papel que pode ter na campanha eleitoral que apontará o seu sucessor. Sabe o peso de sua participação quanto, principalmente, da sua ausência. Preterido por Paulo Câmara, ele inicialmente se recolheu, refletiu sobre o que faria quando assumisse o Governo e como se comportaria em meio à disputa pelo Palácio das Princesas. Revelou com elegância sua insatisfação, sem sair disparando ou apontando erros, e buscou o equilíbrio necessário para não contaminar o processo. Porém, não recebeu nenhum afago. Ocorreu o contrário. Dois episódios marcam uma distância que o PSB tenta deixar clara entre os seus principais nomes (Eduardo Campos, Geraldo Julio e Paulo Câmara) e o governador João Lyra Neto. Durante a greve da Política Militar, a responsabilidade, que realmente era dele, não contou com a solidariedade que deveria ser tão natural ao momento. João Lyra ficou exposto sozinho em um problema que definitivamente não tinha nascido no seu Governo. Agora, com a desastrosa desocupação do Cais José Estelita, o comandante do Executivo Estadual é apontado, mesmo que veladamente, como alguém que se furtou ao diálogo e quebrou protocolos estabelecidos para ações com esse caráter. A Frente Popular de Pernambuco parece ainda não ter entendido o tamanho da representação que o papel a ser desempenhado pelo governador do Estado pode ter em uma campanha onde o seu candidato parte atrás. E ainda precisa mostrar que há unidade para enfrentar uma disputa que promete ser nacionalizada. Não que João Lyra faça movimentos favoráveis para o outro lado, mas o governador precisa se unir a um processo que começou conturbado já no momento da escolha de quem representaria o bloco governista e o legado de Eduardo Campos. Manter entrosamento com o governador seria essencial.  Afinal, alguns neo-aliados parecem gozar de um tratamento melhor, mesmo não tendo metade da representatividade e importância de Lyra e de seu atual posto. Outras crises administrativas podem aparecer ao longo do processo eleitoral, e João Lyra será o foco. Isolá-lo poderá passar ao eleitor que acompanha o debate eleitoral que não há sintonia entre os atuais ungidos com o nome que foi escolhido para, primeiro, ser um vice-governador que assumiria o comando da máquina pública (de Pernambuco) na sua reta final.

CNI/Ibope: Dilma tem 39%, Aécio Neves, 21%, Eduardo Campos, 10%.

A presidente da República Dilma Rousseff (PT) permanece na liderança da disputa pelo Palácio do Planalto. Uma pesquisa do Instituto Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada na manhã desta quinta-feira (19), indica a presidente com 39% das intenções de voto, em sondagem estimulada. Em segundo lugar aparece o senador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), com 21% das intenções de voto. O ex-governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) vem na sequência, somando 10%. Essa é a primeira edição da pesquisa da Confederação Nacional da Indústria/Ibope que busca medir as intenções de votos para a eleição presidencial de outubro.

Ibope: Avaliação do Governo de Dilma Rousseff é a pior desde FHC.

A percepção da população a respeito do Governo Dilma Rousseff (PT) só supera os índices verificados no segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Esses resultados podem ser observados nos resultados da pesquisa CNI/Ibope sobre avaliação de governo, da maneira de governar e confiança nos presidentes eleitos desde 1994. Na pesquisa divulgada hoje (19), a avaliação positiva do Governo da presidente da República Dilma Rousseff atingiu 31%. Em junho de 2002, no segundo mandato de FHC, o porcentual era de 29%. Em julho de 1998, no primeiro mandato de FHC, o índice era de 32%. No segundo mandato de Lula (PT), em junho de 2010, a avaliação positiva era de 75%, e em junho de 2006, no primeiro mandato, era de 44%. De acordo com a CNI/Ibope, 44% dos consultados aprovam a maneira de governo da atual presidente. Esse índice também só supera o verificado no segundo mandato de FHC, que era de 43% em junho de 2002. No primeiro mandato de FHC, a aprovação na maneira de governar era de 51%. Na mesma época do ano, Lula tinha 85% no primeiro mandato e 60% no segundo mandato. A confiança na atual presidente atingiu 41% na pesquisa divulgada hoje. Em junho de 2002, FHC tinha 39%. Em seu primeiro mandato, em julho de 1998, FHC tinha 50%. Lula tinha 81% em junho de 2010 e 56% em junho de 2006. O gerente de Pesquisa e Competitividade da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Renato Fonseca, disse que indicadores de avaliação de Governo e confiança no presidente são muito influenciados pela situação econômica pela qual o País passa. Segundo ele, o fim do segundo mandato de FHC foi marcado pelo aumento da inflação, a exemplo do que ocorre neste momento no Governo Dilma.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Dilma Rousseff lança segunda fase do Pronatec em Brasília (DF).

A presidente da República Dilma Rousseff (PT) lançou, na manhã desta quarta-feira (18), a segunda fase do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Apelidado de Pronatec 2.0, a nova etapa deve entrar em vigor a partir do ano que vem em um eventual segundo mandato da presidente. O número de vagas dessa segunda fase deve ser superior a oito milhões da meta da primeira etapa do programa, que termina neste ano. O anunciou Governo Federal pretende investir até o final do ano cerca de R$ 5,5 bilhões na oferta de cursos técnicos e profissionalizantes por todo o país, um salto de 40% em relação ao que foi gasto no ano passado (R$ 3,9 bilhões). Desde a sua criação, em 2011, foram realizadas mais de 7,4 milhões de matrículas no programa - a meta do governo é atingir oito milhões de vagas até final do ano. O Pronatec vai custar até o final de 2014 cerca de R$ 14 bilhões. Com o programa, a presidente Dilma Rousseff tenta consolidar uma marca de sua gestão na área de educação, assim como o ProUni foi utilizado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O foco do Pronatec é qualificar mão de obra para o mercado de trabalho. O objetivo é aumentar o número de vagas de educação profissional oferecidas em institutos federais, escolas técnicas vinculadas a universidades federais, redes estaduais, Senai, Senac, Senar e Senat. Ciente do potencial, a presidente, que já chamou o programa de “a maior reforma da educação profissional já feita no Brasil” tem utilizado o programa como objeto constante nas suas agendas de viagens pelo País. O programa de ensino profissionalizante é uma das principais bandeiras eleitorais da petista, cuja campanha deve explorar os números do projeto ao lado das construções do “Minha Casa, Minha Vida” e do “Mais Médicos”.

Armando Monteiro Neto transfere convenção do PTB para Caruaru (PE).

O pré-candidato do PTB ao Governo de Pernambuco, senador Armando Monteiro Neto, decidiu há pouco, após reunião com o comando da sua campanha, descentralizar a sua convenção, que seria realizada no Chevrolet Hall, no Recife, transferindo-a agora para o Palladium, em Caruaru, no Agreste do Estado. A data, no entanto, permanece inalterada: 29 de junho. De acordo com o comando da campanha de Armando, além de representar um gesto para com o interior pernambucano, facilitando assim o acesso das caravanas ao evento, Armando Monteiro Neto vai aproveitar o ato para anunciar, oficialmente, sua licença do mandato de senador da República e passar o cargo para o seu suplente, o empresário caruaruense Douglas Cintra.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Jean Wyllys indaga Eduardo Campos sobre Cais José Estelita.

Leia a nota do deputado Federal pelo Rio de Janeiro (RJ): “Acabo de saber sobre a desocupação do Cais Estelita, área portuária do Recife, alvo da especulação imobiliária das grandes empreiteiras. A ocupação é pacífica, com atividades culturais, e não envolve nenhuma invasão para moradia. O objetivo é obrigar a prefeitura a discutir o novo projeto urbanístico, que traz consequências diretas aos moradores da região, com os conselhos de arquitetura, movimentos populares, Secretaria Estadual de Direitos Humanos e a Ordem dos Advogados do Brasil, já que existem ao menos cinco ações na justiça questionando a legalidade do empreendimento. A desocupação forçada, com uso da Tropa de Choque, não era parte do plano de ação acordado entre o prefeito Geraldo Julio (PSB), a polícia e a sociedade civil, e atendeu unicamente ao interesse das construtoras, descumprindo os acordos assumidos pelo prefeito e secretários estaduais com os ocupantes.  Entre eles, havia o acordo de aguardar o julgamento dos recursos da retomada de posse do terreno, que acontecerá amanhã. A ação foi levada a cabo pelo governador João Lyra Neto (PSB), pegando a todos de surpresa. Na operação quatro pessoas foram presas e as barracas foram destruídas. Já me posicionei em duas ocasiões anteriores em defesa da ocupação do Cais Estelita, por entender sua importância para uma nova política urbana que não leve em conta apenas o lucro dos empreiteiros, como ocorre hoje de forma tão flagrante em todo o país. Lamento publicamente a truculência do governo estadual e questiono, ao candidato à presidência pelo PSB, partido do governador e do prefeito, Eduardo Campos, qual será a sua relação com a participação social e os movimentos populares caso venha a ser eleito. A julgar pelo tratamento dado por seu vice aos ocupantes do Estelita, podemos dizer que Campos terá uma péssima relação!

Jean Wyllys (PSOL).
Deputado Federal.”

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Danilo Cabral rebate “Pernambuco 14” do PTB de Armando Monteiro.

De acordo com o Blog da Folha, o deputado Federal Danilo Cabral (PSB) rebatou, na noite desta segunda-feira (16), o balanço apresentado pelo Projeto Pernambuco 14, do PTB. De acordo com o socialista, Armando Monteiro Neto (PTB), pré-candidato ao Governo de Pernambuco, não tem competência nem experiência para realizar esse tipo de escuta. “Eu nunca vi Armando conversando com o povo. O único momento em que ele teve foi ao lado do ex-governador Eduardo Campos, no projeto Todos por Pernambuco, concebido por nós. Até os eixos temáticos utilizados no nosso programa eles estão copiando”, disparou o deputado. De acordo com dados do PTB, o Pernambuco 14 realizou, durante 45 dias, 14 reuniões plenárias em todas as microrregiões de Pernambuco. A iniciativa colheu ao longo desse período 5.232 propostas da população, divididas em quatro eixos temáticos: desenvolvimento, qualidade de vida, cidadania e infraestrutura. As cinco principais prioridades apontadas pelos participantes no Pernambuco 14 foram educação, saúde, segurança pública, estradas e transportes. “Ele [Armando] não tem canais de interlocuções com os segmentos que estão sendo ouvidos. Nunca vi Armando conversando com o trabalhador rural, sem terra nem nenhum movimento social. Ele não legitimidade para isso. O que ele sabe representar muito bem são os patrões na Confederação Nacional das Indústrias”, continuou a artilharia. Por fim, Danilo Cabral ainda citou o Orçamento Participativo do PT na Prefeitura do Recife. “Eles estão realizando essas escutas com um partido que tem uma experiência desastrosa no orçamento participativo. O saldo do OP da gestão PT na PCR é um grande conjunto de obras que foram eleitas pela população e muitas delas nunca saíram do papel”, finalizou.

Armando Monteiro Neto apresenta balanço do Pernambuco 14.

O pré-candidato pelo PTB ao Governo de Pernambuco, senador Armando Monteiro Neto, apresentou nesta segunda-feira (16), ao lado do pré-candidato ao Senado, deputado Federal João Paulo (PT), um balanço do projeto Pernambuco 14. Por cerca de 45 dias, as plenárias conseguiram mobilizar mais de 26 mil pessoas, em 14 reuniões realizadas em todas as microrregiões de Pernambuco. A iniciativa, que teve a primeira plenária foi realizada em 26 de abril, em Igarassu, colheu ao longo desse período 5.232 propostas da população, divididas em quatro eixos temáticos: desenvolvimento, qualidade de vida, cidadania e infraestrutura. As cinco principais prioridades apontadas pelos participantes no Pernambuco 14 foram educação, saúde, segurança pública, estradas e transportes. De acordo com o senador, o projeto foi exitoso por duas razões: pela qualidade e conteúdo das contribuições e pela mobilização em torno do processo eleitoral. As propostas devem ser incorporadas ao programa de governo que o petebista deve apresentar dentro de três semanas. “Vamos montar um programa de Governo que não seja eleitoreiro, o qual podemos assumir o compromisso”, afirmou. “Você aí vai encontrando em cada região algumas nuances, algumas mudanças de ênfase, de percepção, e você vai verificando que o déficit às vezes da presença do governo é maior ou menor. Algumas áreas são mais percebidas como áreas críticas”, analisou o senador. Segundo o parlamentar, o que pode ser dito de uma forma geral é que o problema da saúde, da segurança, da educação e os problemas relacionados também com a agenda da cidadania, “essas questões são percebidas de forma muito forte”. Questionado se teria mudado o discurso, reconhecendo o desenvolvimento estadual, o senador Armando Monteiro Neto disse que não ia desqualificar um Governo do qual já fez parte. “É evidente que não vou desqualificar nem desconstruir um Governo que já tive nele”, afirmou, reconhecendo que o Governo do Estado promoveu ações importantes, citando o Pacto pela Vida e avanços na área educacional. Segundo ele, embora Pernambuco ainda se situe mal no índice de educação, na área da saúde, por exemplo, construiu alguns hospitais com a ajuda do Governo Federal.

PRTB oficializa candidatura de Levy Fidelix ao Palácio do Planalto.

O PRTB oficializou ontem (15), durante Convenção Nacional realizada na cidade de São Paulo, o nome de Levy Fidelix como candidato da legenda à presidência da República. O político, que disputou o pleito nas eleições de 2010, pode ainda ganhar o apoio do Partido Militar Brasileiro (PMB), caso a sigla consiga viabilizar a tempo o registro junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Uma das bandeiras do candidato é a implantação do aerotrem, veículo semelhante a um metrô de superfície que pode ajudar a desafogar o trânsito nas principais capitais brasileiras. De acordo com o projeto do candidato ao Palácio do Planalto, o veículo seria movido por condutores magnéticos. Apresentador de televisão, professor universitário e publicitário, o mineiro Levy Fidelix é um dos fundadores do PRTB. Antes de criar o partido, Levy Fidelix participou da fundação do PL, em 1986, quando se lançou na política, disputou uma vaga na Câmara dos Deputados pelo Estado de São Paulo. Depois, migrou para o PTR, onde também concorreu a um mandato de deputado Federal no começo da década de 1990.

Ministro Moreira Franco nega problemas em aeroportos durante a Copa.

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, afirmou hoje (16) que o país não registrou problemas nos aeroportos durante a Copa do Mundo. Segundo ele, os índices de atrasos e cancelamentos são extremamente baixos. “Nós não temos tido problemas até agora. Os fatos ocorridos são fatos que estão dentro do que já tínhamos nos organizado para enfrentar, nada grave. Do ponto de vista da infraestrutura aeroportuária, funcionou muito bem. Claro que isso decorre de um esforço muito grande que o país fez no sentido de aumentar nossa infraestrutura nos aeroportos”, declarou o ministro. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), cerca de 430 mil pessoas passaram pelos 20 principais aeroportos do país durante o primeiro sábado de Copa do Mundo. 

Desde a última quarta-feira (11), o índice de atrasos nos aeroportos do país está em 4,2%, enquanto o de cancelamentos alcançou 8,2%. “Minha expectativa é que nas próximas semanas possamos manter o mesmo padrão de atendimento”, disse Moreira Franco. O diretor-presidente da Anac, Marcelo Guaranys, informou que os indicadores estão dentro do esperado em todas as regiões do País. Segundo ele, a agência estima um pico de até 15% para atrasos de voos, enquanto os cancelamentos devem oscilar entre 5% a 10%. “Os números estão totalmente dentro do padrão de normalidade”, garantiu Guaranys. O crescimento constante do número de passageiros que passam todos os anos pelos aeroportos do país deve mudar o conceito de aeroporto pronto, segundo o ministro da Aviação Civil, Moreira Franco. “Aeroporto pronto é um conceito que vamos ter de, daqui para frente, tratar com muito cuidado. A taxa de crescimento de passageiros chega a 11% ao ano. Os aviões crescem. Então vamos permanentemente fazendo intervenções nos aeroportos, para garantir área disponível para os passageiros e para os aviões”, disse. O ministro contou ainda que o consórcio vencedor da concessão de administração do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro apresentará em agosto o plano de exploração para o aeroporto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

DEM veta tentativa de reeleição de Rosalba no Rio Grande do Norte.

O DEM do Rio Grande do Norte vetou, ontem (15), a candidatura à reeleição da atual governadora Rosalba Ciarlini (DEM). Rosalba é a única governadora do partido e a mais mal avaliada do País, de acordo com as pesquisas feitas até o momento. A democrata ainda corre o risco de se tornar inelegível em razão de processos que tramitam na Justiça Eleitoral. Com o veto à tentativa de reeleição, o DEM fica sem candidatura própria ao Poder Executivo no Rio Grande do Norte. Durante a convenção do partido, ontem, em Natal, prevaleceu à posição defendida pelo senador José Agripino Maia, presidente Nacional e Estadual da sigla, que trabalhou para costurar coligação proporcional com o PMDB, que terá como candidato o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves. Foram 121 votos favoráveis a essa tese e 63 pela reeleição de Rosalba. “O Democratas escolheu continuar grande em vez de ficar com uma candidatura [a de Rosalba] que até inelegível”, disse Agripino. Em dezembro passado, Rosalba Ciarlini foi cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, acusada de abuso de poder político e econômico durante a eleição municipal de 2012, mas manteve-se no cargo após conseguir uma liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Antes aliados, os dois principais nomes do partido no Estado, Agripino e Rosalba, trocaram farpas durante o ato. O senador afirmou que a decisão de negar a legenda à atual governadora era uma questão de “sobrevivência para o partido” e que Rosalba era a responsável por ter um governo tão mal avaliado. A governadora, por sua vez, cobrou lealdade e disse que não abandonou José Agripino quando recebeu o convite para assumir comando do PSD do Rio Grande do Norte. “Eu não poderia abandonar o senador justo no momento que ele assumia o cargo de presidente Nacional”, afirmou a governadora do Rio Grande do Norte.

Eduardo Campos promete presença na campanha de Paulo Câmara.

O ex-governador de Pernambuco e pré-candidato a presidência da República, Eduardo Campos (PSB), afirmou ontem (15), durante a Convenção Estadual da Frente Popular de Pernambuco, que estará presidente na campanha do ex-secretário da Fazenda e candidato ao Governo do Estado, Paulo Câmara, numa tentativa de dirimir as especulações acerca do tempo que ele dedicará no Estado. A presença de Eduardo Campos, após 70 dias desde que deixou o Governo de Pernambuco, representou um reforço no palanque de Paulo Câmara. Morando em São Paulo e rodando diariamente pelo País, o ex-governador respondeu às especulações sobre a sua ausência na campanha em Pernambuco. “Dizem por aí que sem Eduardo vai ser mais fácil, mas é só dizer venha cá passar uma semana, um dia inteiro, eu deixo Marina (Silva) onde estiver fazendo campanha e volto para cá correndo. Eu vou estar presente nesta campanha, o tempo que essa campanha precisar”, declarou Eduardo Campos. O ex-governador, assim como os demais que discursaram, enalteceu a figura do candidato socialista. “Ninguém nesta geração está mais preparado do que Paulo Câmara para ser o melhor governador que Pernambuco já teve. Ele vai ser melhor do que eu fui”, afirmou. Eduardo Campos reafirmou que a chapa, encabeçada pelo PSB, elegerá 20 deputados federais e 40 estaduais. O presidente Nacional do PSB tentou eliminar as dúvidas que pairam sobre a campanha de Paulo Câmara. “Se alguém tinha alguma dúvida de como ia ser a eleição em Pernambuco, hoje acabou essa dúvida. O time está unido”, avaliou Eduardo. O recado também foi em resposta às críticas, inclusive de aliados, sobre a forma como o processo está sendo conduzido no Estado.

sábado, 14 de junho de 2014

Em Pernambuco, Lula conforta Dilma: “a vingança será a vitória”.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou, nesta sexta-feira (13), os militantes do PT a sair em defesa da presidente da República Dilma Rousseff. “Se ofender a Dilma, estará ofendendo a cada um de nós”. Em ato político realizado em Recife, que reuniu cerca de 2.500 pessoas no bairro de Benfica, o ex-presidente lamentou as agressões sofridas por Dilma Rousseff durante a abertura da Copa do Mundo de 2014, em São Paulo. “O que você sofreu ontem não foi uma agressão à presidenta, foi uma agressão ao povo brasileiro”, disse Lula após entregar-lhe uma rosa branca à Dilma em símbolo de paz. Na sequência, a confortou: “Nossa vingança será a vitória”. Segundo ele, a imprensa fomentou os xingamentos feitos à presidente nesta quinta-feira (12). “Parte da imprensa incentivou o tempo inteiro essa reação da sociedade”, o que considerou “um ato de cretinice”. Para Lula, faltaram respeito e educação aos que gritaram palavrões e lembrou que eles vieram da “parte bonita da sociedade”. “Os que diziam que o Brasil ia passar vergonha na Copa deram o maior vexame. Respeito, educação, a gente aprende na casa da gente. Duvido que trabalhadores tivessem coragem de falar 1% do que foi falado”, disse ele. Também presente no evento, Dilma Rousseff voltou a comentar o episódio que classificou como “lamentável”. “Não está à altura do Brasil e nem do povo brasileiro”, afirmou. Mais cedo, durante inauguração do BRT, no Distrito Federal, a presidente afirmou que não será atemorizada por agressões verbais.

“Agora o Governo Federal é o atacante” diz Dilma Rousseff em Recife.

A presidente da República Dilma Rousseff (PT) e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), participaram nesta sexta-feira (13), da inauguração da primeira etapa da Via Mangue, projeto que faz parte das matizes de responsabilidade para a Copa do Mundo e se configura como a obra de mobilidade urbana mais importante para o Recife dos últimos 40 anos. Enquanto Geraldo Júlio tentou colocar um fim à polêmica que cerca a paternidade da obra, Dilma Rousseff destacou os investimentos realizados pelo Governo Federal nas obras de mobilidade urbana e a participação da União na construção do empreendimento. A obra tem sido o centro de diversas polêmicas envolvendo o PT e o PSB, que já trocaram alfinetadas quanto ao adiamento da inauguração da obra e acerca origem dos recursos necessários ao empreendimento. “Muitas discussões aconteceram aqui na nossa cidade, na política local. O que é importante é que essa é uma obra que vai oferecer serviços à população. As discussões sobre o financiamento a gente conclui com uma frase simples e rápida: essa é uma obra paga pelo povo, para servir às necessidades do povo”, afirmou Geraldo, durante a inauguração da obra. O governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), também esteve na inauguração. Ainda sem a presença do ex-presidente Lula, Dilma exaltou as melhorias que a Via Mangue vai trazer para os recifenses.

A governante destacou que o Governo Federal tem uma carteira de R$ 143 bilhões para o transporte público e que os municípios não possuem verbas o suficiente para realizar um empreendimento do tipo. “Nunca antes o governo federal havia investido em mobilidade urbana”, afirmou. “Os Estados e as prefeituras, sozinhos, não têm recursos suficientes. A conta não fecha se a União não entrar no jogo. Em tempo de Copa, a gente sabe que só um time ganha a partida. Ninguém ganha sozinho. Agora o Governo Federal é o atacante”, discursou. Apesar da presença de Dilma Rousseff, do pré-candidato ao Governo de Pernambuco pelo PTB, Armando Monteiro Neto, e do senador Humberto Costa (PT) no ato, o ex-prefeito do Recife João da Costa (PT), que deu início à construção da Via Mangue, não estava presente. A obra custou R$ 433 milhões e terá 4,5 quilômetros de extensão. O objetivo do empreendimento é desafogar a Zona Sul do Recife e melhorar a mobilidade urbana, principal problema público do Recife. Do dinheiro investido, R$ 331 milhões foram provenientes de um financiamento da Caixa Econômica Federal, R$ 81 milhões foram aplicados pela prefeitura do Recife e R$ 19 milhões pelo Governo Federal. A inauguração da Via Mangue estava marcada para acontecer no último dia 3, também com a presença de Dilma. Entretanto, após a confirmação de presença da presidente, a Prefeitura do Recife adiou a abertura para o último dia 8, sob a alegação de “problemas técnicos” envolvendo o empreendimento. A mudança de data foi encarada por militantes do PT como uma “descortesia” por parte do prefeito Geraldo Júlio, e fez com que a visita do dia 3 fosse cancelada e adiada para esta sexta-feira.

Eduardo Campos sobre vaias: Dilma Rousseff “colheu o que plantou”.

O ex-governador de Pernambuco e pré-candidato ao Palácio do Planalto pelo PSB, Eduardo Campos, fez mais críticas à presidente da República Dilma Rousseff (PT), ao afirmar durante uma entrevista no Paraná que a gestora “colheu o que plantou” ao ser vaiada e xingada na Arena Corinthians, durante a abertura da Copa do Mundo. Apesar de não concordar com o ato, o socialista atribuiu o episódio ao “mau humor da população”. Ainda no tom crítico, Eduardo Campos também fez novos disparos contra Dilma, desta vez em uma entrevista a uma rádio da Paraíba, onde afirmou que 39 ministérios são “desnecessários” e que o PT tem um “domínio partidário” na distribuição dos cargos ministeriais. “A gente sabe, há na sociedade um mau humor, uma insatisfação que se revela nesse momento”, declarou Eduardo Campos, durante uma entrevista para a Rádio CBN, no Paraná, ontem (13). “Talvez a forma de expressar esse mau humor não tenha sido a melhor nesse momento, mas o fato é que vale o ditado: na vida a gente colhe o que a gente planta”, alfinetou. Durante o primeiro jogo da Copa do Mundo, entre Brasil e Croácia, Dilma foi vaiada algumas vezes por uma parte da torcida que se encontrava na Arena. Também puderam ser ouvidos alguns coros de “Ei, Dilma, vai tomar no...”. Os gritos, entretanto, perderam força rapidamente e não duraram muito tempo.

Em resposta à atitude, Dilma Rousseff afirmou que “não vai se abalar” em função do ocorrido. “Não serão xingamentos que vão me intimidar, atemorizar. Não me abaterei por isso, não me abato e nem me abaterei”, declarou a presidente, nesta sexta-feira (13). Já na entrevista para uma rádio da Paraíba, Eduardo Campos criticou os ministérios de Dilma ao remeter a existência de uma política de “pistolão” na distribuição dos ministérios. De acordo com Eduardo Campos, ao assumir o Governo de Pernambuco, em 2007, o então governador teve que enfrentar os mesmos problemas. “Tive que lidar com a tal ‘política do pistolão’ quando cheguei ao Governo de Pernambuco. As secretarias se encontravam em um cenário parecido com o dos ministérios, mas não me dobrei. Indicamos quem tinha competência para gerir cada uma das áreas”, declarou. O presidenciável também criticou a redução dos repasses de verbas para as prefeituras. “De cada 100 tributos recolhidos pela União, R$ 14,50 iam para as prefeituras. Atualmente esse valor caiu para R$ 11. É preciso haver um equilíbrio e favorecer os municípios mais pobres com repasses mais elevados, porque é a partir destes repasses que são feitos os investimentos em saúde, educação e segurança pública”, afirmou. A declaração de Eduardo está ligada a uma queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), uma das maiores fontes de receita Municipal. A queda é atribuída à redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), principal componente do FPM, em função de uma série de desonerações promovidas pelo Governo Federal como forma de alavancar a economia.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

PSB vai ao TSE contra Dilma por campanha eleitoral antecipada.

O PSB do presidenciável e ex-governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos, entrará ainda nesta quarta-feira (11), com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a presidente da República Dilma Rousseff (PT), por campanha eleitoral antecipada. Em pronunciamento ontem (10) em rede Nacional de TV, Dilma afirmou que os “pessimistas”, a quem não nomeou, em relação à Copa do Mundo já entram “perdendo”. “No jogo, que começa agora, os pessimistas já entram perdendo. Foram derrotados pela capacidade de trabalho e a determinação do povo brasileiro, que não desiste nunca”, disse. Candidata à reeleição, a presidente aproveitou a exposição na TV para justificar que as contas do Mundial estão sendo analisadas pelos órgãos de fiscalização e para rebater acusações de que o Governo Federal destinou recursos da saúde e da educação para a construção dos estádios.

Vox Populi: Dilma mantém liderança na disputa pela presidência.

Encomendada pela revista Carta Capital, nova rodada da pesquisa Vox Populi divulgada nesta quarta-feira (11) sobre a sucessão presidencial aponta a manutenção pela presidente da República Dilma Rousseff (PT) dos 40% de intenção de votos do levantamento anterior, aferido em abril. Já o senador Aécio Neves (PSDB) subiu pontos, permanecendo na segunda colocação com 21%. O ex-governador Eduardo Campos (PSB) se manteve com os mesmos 8% da amostra passada. Com o resultado, Dilma Rousseff venceria a eleição no primeiro turno. Esse quadro não tem se repetido nos levantamentos realizados por outros institutos. O Pastor Everaldo Pereira (PSC) vem na sequência com, 2%, José Maria (PSTU) registrou 1%. Já os pré-candidatos Radolfe Rodrigues (PSOL), Eduardo Jorge (PSV), Denise Abreu (PTN), Levy Fidelix (PRTB) e José Maria Eymael (PSDC) não conseguiram chegar à marca de 1%. A pesquisa Vox Populi de junho indicou uma redução no percentual de indecisos. Antes 18% em abril, agora o item apresentou 14%.  A opção branco e nulo variou de 15% para 14%. Foram ouvidas 2.200 pessoas em 161 municípios brasileiros. A amostra foi colhida entre os dias 30 de maio e 1º de junho e possui uma margem de erro de 2,1 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa, contratada pela Editora Confiança, que edita a revista Carta Capital, foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número BR-00156/2014. A nova rodada Vox Populi é divulgada um dia após o Instituto Ibope apresentar um levantamento que aferiu o peso dos vice-presidentes nas chapas encabeças pelos presidenciaveis Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos. Nesse quesito, o socialista foi mais beneficiado pela colega de chapa Marina Silva, que o fez crescer 5% chegando aos 18% nesse cenário.

terça-feira, 10 de junho de 2014

“Não há marqueteiro que leve o PT à vitória” afirma Aécio Neves.

Ao comentar os números da pesquisa Ibope, divulgada nesta terça-feira (10), o pré-candidato a presidência da República e senador de Minas Gerais pelo PSDB, Aécio Neves, disse que há um “sentimento crescente” no País de “enfado, de cansaço em relação a tudo que está acontecendo no Brasil”. “Não há marqueteiro que leve o PT à vitória. Podemos nos preparar para um novo e grande Governo a partir de 2015 e vamos trabalhar para isso”, disse. O parlamentar também rebateu declaração da presidente Dilma Rousseff (PT), que afirmou que seus adversários “querem surrupiar” seu programa de Governo. “É muito triste vermos uma presidente da República, no momento em que recebe apoio à sua candidatura, não conseguir olhar para o futuro. Ela só olha no retrovisor da história. E, mesmo assim, com comparações que não são corretas. A presidente, que levou o Brasil a ter o terceiro pior crescimento desde a proclamação da República, fala que vai nos levar a um crescimento contínuo. A presidente, que perdeu o controle sobre a inflação, nos fala que vai legar no futuro inflação controlada”, disse Aécio, durante a convenção do PSDB de Minas Gerais que confirmou a candidatura do ex-ministro Pimenta da Veiga ao Governo mineiro. Aécio Neves disse que “mais surpreendente” é que a presidente está “desconectada da realidade, aflita com os resultados que vem tendo na economia, na área social”. “Absurdo ela dizer que é invencível. Invencível seremos nós, brasileiros, que vamos encerrar esse ciclo de Governo do PT que está infelicitando o País. A democracia é invencível. E a democracia é que vai mostrar, de forma muito clara, que o Brasil não quer mais o desgoverno do PT hoje representado pela presidente da República”, completou. O tucano também comemorou o fato de 40% do PMDB ter votado contra a aliança com o PT. “E a presidente hoje, infelizmente, deve dormir com uma enxaqueca, porque ela sofreu um fragorosa derrota na convenção do PMDB. Depois de tudo que foi feito, a distribuição dos espaços que vem distribuindo para o PMDB no Governo, que já manda quase mais, pelo menos um setor do PMDB, do que o próprio PT, a oposição à aliança ter mais de 40% dos votos, é uma derrota fragorosa. Isso significa que a presidente levará alguns minutos a mais para a propaganda eleitoral, mas não levará a base, o trabalho, o sentimento dos seus aliados”. Aécio também disse que não irá fazer uma campanha de ataques aos adversários, mas que deseja a “aposentadoria” da presidente nos próximos quatro anos.

Pernambuco recebe reforço das Forças Armadas durante a Copa.

O governador de Pernambuco João Lyra Neto (PSB) garantiu, nesta terça-feira (10), o reforço das Forças Armadas para complementar a segurança durante a Copa do Mundo no Brasil. As tropas, que já estão na capital pernambucana, foram disponibilizadas pela Presidência da República, por meio do Plano Nacional de Segurança da Copa do Mundo, com objetivo de auxiliar a Polícia Militar de Pernambuco durante a realização do evento. De acordo com o governador João Lyra Neto, o reforço é bem-vindo e vai ajudar a garantir a “segurança dos pernambucanos e de todos que aqui permanecerem durante o Mundial”. A operação, que a princípio terá um contingente de 1,5 mil homens, tem início na próxima quinta-feira (12), data da abertura oficial da Copa do Mundo. Nesse mesmo dia, o Estado de Pernambuco receberá as primeiras delegações das equipes que jogarão a Copa.

Com Marina Silva na vice Eduardo Campos se aproxima de Aécio.

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (10), mostra a presidente da República Dilma Rousseff (PT) com 38% das intenções de voto, dois pontos porcentuais a menos do que em maio. Seus adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) oscilaram dois pontos para cima (de 20% para 22% e de 11% para 13%, respectivamente). Com a inclusão dos nomes dos vice-presidentes nas cartelas apresentada aos eleitores, porém, Eduardo Campos se aproxima de Aécio Neves, sua desvantagem varia entre quatro e cinco pontos. A pedido da União dos Vereadores de São Paulo (Uvesp), entidade que pagou a pesquisa, o Ibope testou cenários com diferentes vices para Aécio (José Serra, Tasso Jereissati e Aloysio Nunes), além de colocar Marina Silva na chapa de Eduardo Campos e Michel Temer na de Dilma Rousseff. Marina é a única vice que provoca alterações significativas no panorama. 

Com seu nome associado ao dela, o pré-candidato do PSB fica com 17% a 18% das intenções de voto, a depender do cenário. A inclusão de Serra na chapa de Aécio faz com que o tucano fique com 23%. No cenário comparável com as pesquisas anteriores, aquele no qual os nomes dos vices não são apresentados, os concorrentes de Dilma somam 42%, quatro pontos a mais do que a presidente. Isso indica que aumentou a chance de segundo turno. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 40%, e os adversários, 36%. Os cenários de segundo turno também mudaram significativamente, graças ao crescimento dos candidatos de oposição. Em um eventual embate com Aécio, a vantagem de Dilma caiu de 19 para 9 pontos porcentuais , em menos de um mês, o placar passou de 43% a 24% para 42% a 33%. No cenário de confronto direto contra Eduardo Campos, a presidente também viu sua vantagem diminuir, de 20 pontos (42% a 22%) para 11 (41% a 30%). Rejeição. Outra má notícia para a presidente foi o aumento da rejeição a seu nome: a parcela do eleitorado que afirma que não votaria nela de jeito nenhum subiu de 33% para 38%. A pesquisa entrevistou 2002 pessoas em 142 municípios do País entre 4 e 7 de junho. O nível de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 2 pontos porcentuais. O levantamento foi registrado sob o protocolo BR-00154/2014 no TSE.

Ibope: Dilma Rousseff atinge 38%, Aécio Neves 22% e Eduardo Campos 13% na disputa pelo Palácio do Planalto.

Pesquisa Ibope divulgada na noite desta terça-feira (10), mostra que a atual presidente da República, Dilma Rousseff (PT), oscilou negativamente em relação ao último levantamento. No cenário mais provável, que inclui candidaturas de partidos nanicos, a presidente saiu de 37% das intenções de voto em abril para 40% em maio e voltou a 38% em junho. O senador de Minas Gerais e pré-candidato do PSDB, Aécio Neves, saiu de 14% em abril para 20% em maio e agora alcança 22%. Já o ex-governador de Pernambuco e pré-candidato do PSB, Eduardo Campos, soma 13% das intenções de voto ante 11% em maio e 6% em abril. No mesmo cenário, o Pastor Everaldo (PSC) manteve 3% das intenções de voto. José Maria (PSTU), Magno Malta (PR) e Eduardo Jorge (PV) têm 1% cada. Outros nanicos somam 1%. Brancos e nulos são 13% e indecisos, 7%. No levantamento de maio, brancos e nulos somavam 14% e indecisos, 10%. A pesquisa foi contratada pela União dos Vereadores do Estado de São Paulo e entrevistou 2002 pessoas em 142 municípios do País entre 4 e 7 de junho. O nível de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 2 pontos porcentuais. O levantamento foi registrado sob o protocolo BR-00154/2014 no Tribunal Superior Eleitoral.

PMDB também fecha apoio a Dilma Rousseff na corrida presidencial.

Depois de garantir o apoio do PDT, a presidente da República Dilma Rousseff (PT) recebeu oficialmente na tarde desta terça-feira (10), a aprovação do PMDB por sua candidatura à reeleição em outubro. Na Convenção Nacional do partido, que acontece desde cedo em Brasília, foram 398 votos favoráveis à manutenção da aliança com o PT com Michel Temer na vice-presidência contra 275 que defendiam rompimento com o partido governista. No encontro, a ala de rebeldes, contrária a apoiar Dilma, distribuiu panfletos e fez discurso com críticas ao Governo Federal e reclamações de falta de apoio em alguns Estados, como no Rio de Janeiro, onde o PT lançará o senador Lindbergh Farias para disputar o Governo carioca, em vez de apoiar PMDB Luiz Fernando Pezão. A ala também questionava o fato de o PMDB não ter candidato próprio à presidência do Brasil há 20 anos. O vice-presidente da República, Michel Temer, minimizou, mais cedo, a divisão no partido. “Se der 51 (por cento dos votos a favor da aliança) está bom”, disse a jornalistas ao chegar à convenção. “Isso é comum no PMDB. Se a gente não se acostumar com isso depois de 40 anos, não dá para fazer política”, acrescentou, sobre o racha na legenda. Em seu discurso durante a convenção, Michel Temer disse que a aliança com o PT tem como objetivo “abrir as portas” para que no futuro “o PMDB ocupe todos os espaços políticos, para o bem dos brasileiros”. Segundo ele, o partido é o responsável pela “grande revolução social neste País”. O vice-presidente afirmou ainda não acreditar em “intrigas” que, segundo ele, sugeriam haver traições.

PDT de Carlos Lupi oficializa apoio à reeleição de Dilma Rousseff.

O PDT oficializou nesta terça-feira (10), em votação na Convenção Nacional do partido, apoio à reeleição da presidente da República Dilma Rousseff (PT). Durante a votação, nenhum convencional levantou o crachá quando questionado quem era contra a aliança com a presidente. Contudo, dissidentes que defendiam a candidatura própria e eram minoria, como o deputado Antônio Reguffe (DF), e os senadores Cristovam Buarque (DF) e Pedro Taques (MT), não estavam presentes na hora da votação. O PDT vai ter candidato próprio em três Estados: No Amapá, com o ex-governador Waldez Góes, no Mato Grosso, com Pedro Taques e no Rio Grande do Sul, com o deputado Vieira da Cunha. Os diretórios Estaduais vão ter liberdade para apoiar palanques regionais ligados ao PT, PSDB e PSB. Segundo o presidente Nacional do PDT, Carlos Lupi, ainda falta acertar a coligação em “três ou quatro Estados”.

Michel Temer: “Discurso de Eduardo Campos é eleitoreiro”.

Diante da provável aliança o PMDB com a presidente da República Dilma Rousseff (PT), o vice-presidente da República, Michel Temer, alfinetou o pré-candidato ao Palácio do Planalto e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). “É discurso eleitoreiro”, disse Michel Temer. O ex-governador já havia dito que, se for eleito, “as velhas raposas da política” serão oposição no seu Governo, referindo-se, especialmente, ao PMDB, principal aliado do PT no Congresso Nacional. Em passagem pelo Maranhão, no dia 26 de abril, Eduardo Campos criticou explicitamente o ex-presidente da República José Sarney (AP), um dos principais nomes do PMDB em nível nacional. “O senador Sarney terá meu respeito, mas no meu governo ele será oposição durante os quatro anos”, afirmou o socialista. No mesmo dia, em Manaus (AM), Eduardo Campos alfinetou membros do PMDB. “O povo clama por uma alternativa política que coloque o fisiologismo e o atraso da velha política na oposição”, disse no 4º Seminário Regional Programático da aliança PSB-REDE-PPS-PPL. Em entrevista ao Blog do Josias, Michel Temer afirmou o PMDB na oposição traria dificuldades para qualquer Governo. “Se o PMDB um dia estiver na oposição, vai criar dificuldade muito grande (para o Governo Federal)”, declarou o vice-presidente. “Haveria uma dificuldade governativa”, acrescentou.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Datafolha: Dilma tem 23% contra 20% de Aécio Neves em São Paulo.

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta segunda-feira (9) pela Folha de S.Paulo mostra que a presidente da República Dilma Rousseff (PT) tem 23% das intenções de voto no estado de São Paulo e encontra-se tecnicamente empatada com o pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, o senador mineiro Aécio Neves, que soma 20% das intenções. O pré-candidato do PSB, Eduardo Campos, tem 6% das intenções, em empate técnico com o Pastor Everaldo (PSC), com 4%, e o senador Magno Malta (PR), com 3%. O pré-candidato do PSTU, José Maria, soma 2%. Brancos e nulos são 27% e 10% não sabem em quem votar. Quando a pesquisa é realizada em âmbito Nacional, Dilma tem 34% das intenções de voto, ante 19% de Aécio e 7% de Eduardo Campos. Brancos e nulos são 17% e indecisos, 13%. O levantamento também mostra que, no maior colégio eleitoral do país, a oposição venceria Dilma Rousseff num eventual segundo turno. Aécio bateria a presidente por 46% a 34% e Eduardo por 43% a 34%. Na mostra nacional, a presidente venceria os dois nomes da oposição. Em São Paulo, a avaliação do governo Dilma Rousseff é pior do que na média nacional. De acordo com 23% dos eleitores paulistas, o governo atual é bom ou ótimo, 37% o consideram regular e 39% ruim ou péssimo. Em nível nacional, 33% consideram o Governo Dilma ótimo ou bom, 38% o avaliam como regular e 28% como ruim ou péssimo. Em ambos os levantamentos, 1% não soube responder. A pesquisa ouviu 2.029 pessoas no Estado de São Paulo entre os dias 3 e 5 de junho. A taxa de confiança é de 95% e a margem de erro máxima é de 2 pontos porcentuais. O levantamento foi registrado sob o protocolo SP-00007/2014. (Com informação do Estadão)

Henrique Eduardo Alves: “PMDB vai aprovar chapa Dilma/Temer”.

O presidente da Câmara dos Deputados e pré-candidato ao Governo do Rio Grande do Norte, Henrique Eduardo Alves (PMDB), prevê que 70% da sua legenda irá aprovar, amanhã (10), em convenção, a aliança com o Partido dos Trabalhadores e o apoio à reeleição da chapa Dilma Rousseff/Michel Temer. “Este é o correto, o coerente, o leal, o justo”, afirmou o parlamentar, para quem, “em horas decisivas, o partido supera suas divergências e sabe se unir”. Indagado sobre eventuais barganhas conquistadas pelo PMDB para garantir o apoio, a exemplo de maior espaço no Governo Federal e ocupação de ministérios com mais apelo social, Henrique Eduardo Alves desconversou. “Vamos primeiro ganhar a eleição”, disse. O deputado minimizou as divergências internas do partido ao lembrar que nem Tancredo Neves e Ulysses Guimarães, na época da redemocratização política, conseguiram unanimidade. “Uma vitória consagradora da aliança é uma questão de coerência com a presidente Dilma, com Michel Temer e com o Brasil”, reiterou. “Vamos dar ao País essa unidade”, pontuou Henrique Alves.

Ibope: Eunício Oliveira lidera disputa pelo Governo do Ceará.

O senador Eunício Oliveira (PMDB) lidera as pesquisas de intenção de voto para o Governo do Estado do Ceará, de acordo com dados do instituto Ibope divulgados ontem (08). A pesquisa, encomendada pelo Jornal Diário do Nordeste, mostrou quatro cenários de disputa, alternando os pré-candidatos PROS, partido do governador Cid Gomes, que ainda não definiu o sucessor. Em todas as medições, Eunício está à frente dos demais candidatos. No melhor cenário, alcança 34% dos votos, contra 16% do ex-deputado Roberto Pessoa (PR) e 13% de Izolda Cela (PROS), ex-secretária Estadual de Educação. No pior, Eunício bate 30% contra 22% do atual vice-governador Domingos Filho (PROS) e 15% de Roberto Pessoa. De acordo com a pesquisa, Eunício também é o menos rejeitado entre os pré-candidatos. O senador aparece com 11%, enquanto o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, José Albuquerque (PROS), com 18%, tem a maior rejeição. O Ibope também divulgou a pesquisa para o Senado Federal. O ex-senador Tasso Jereissati (PSDB) lidera as indicações de voto com 47%, seguido pelo senador Inácio Arruda (PCdoB) com 18% e por Luizianne Lins, com 7%, e José Guimarães, com 6%, ambos do PT. As pesquisas têm margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Foram ouvidos 1.008 eleitores entre os dias 1 e 4 deste mês. Em entrevista à Folha de S.Paulo, o governador Cid Gomes informou que seu partido começa a definir o programa de sucessão nesta segunda-feira. Segundo ele, a ideia inicial é finalizar a elaboração do programa e, posteriormente, definir o candidato que vai liderar a campanha para sucedê-lo. “Todos os pré-candidatos têm chances no momento, pois a preocupação inicial é com a elaboração do projeto”, disse. Cid também comentou a campanha do senador Eunício Oliveira, que fez parte da sua base de Governo e tentou apoio para concorrer ao Governo. “Não falo com o senador Eunício desde março, quando almoçamos juntos e ele pediu meu apoio na campanha dele. Na ocasião, eu disse a ele que precisava esperar a definição dos outros partidos que compõem a base, pois todos têm seus anseios e precisam ser ouvidos. Ele se precipitou e rompeu a aliança. Foi uma ação dele. Não tive muito que fazer”.

PSDB de Pernambuco confirma apoio a Paulo Câmara do PSB.

O presidente do PSDB de Pernambuco, deputado Federal Bruno Araújo, confirmou nesta segunda-feira (09) o apoio da legenda à pré-candidatura de Paulo Câmara (PSB) e de Fernando Bezerra Coelho (PSB) ao Governo de Pernambuco e Senado Federal, respectivamente. A decisão contou com o aval do pré-candidato do PSDB à presidência da República, senador de Minas Gerais Aécio Neves. Bruno disse que a opção por manter a aliança, ainda que o PSB do ex-governador Eduardo Campos (PSB) tenha optado por lançar candidato próprio em Minas Gerais, saindo assim da base de apoio ao nome indicado por Aécio Neves, contou com o aval da maioria dos quadros do PSDB de Pernambuco. Ainda segundo ele, a partir de agora será dado seguimento aos preparativos de formalização da aliança entre as legendas. “Estamos aguardando a liberação formal do presidente Nacional do partido, senador Aécio Neves, para avançarmos nesse entendimento que foi construído ainda no início do ano pelo deputado Sérgio Guerra. Como disse o próprio senador, essa é uma posição que vai se confirmar por uma vontade da maioria do partido, respeitando a questão local”, afirmou Bruno. “Esse desejo é mútuo do PSB e PSDB e nosso com os demais partidos da Frente Popular. Agora é cuidar da eleição dos proporcionais”, completou o parlamentar pernambucano.

Ibope: Dilma Rousseff lidera corrida presidencial no Estado do Ceará.

Pesquisa feita pelo Ibope no Ceará e divulgada nesta segunda-feira (09) pelo Diário do Nordeste mostra a presidente da República Dilma Rousseff (PT) com uma liderança confortável no Estado governado pelo aliado Cid Gomes (PROS), irmão do ex-ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes. De acordo com o levantamento, Dilma Rousseff, pré-candidata à reeleição, tem 55% das intenções de voto, contra 8% do senador Aécio Neves (PSDB), 6% do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) e 3% do Pastor Everaldo Pereira (PSC). Entre eleitores que estudaram até a 4ª série do Ensino Fundamental, a intenção de voto da presidente da República Dilma Rousseff chega a 66%. O porcentual vai diminuindo à medida que a escolaridade aumenta e alcança 42% entre os que têm curso superior. A pesquisa foi feita com 1.008 eleitores entre os dias 1º e 4 de junho de 2014. A margem de erro é de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos e a confiabilidade da pesquisa é de 95%. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-00148/2014.

Ex-prefeito de Brumado é o vice de Lídice da Mata no Estado da Bahia.

Na Bahia, a vaga de vice-governador na chapa da senadora Lídice da Mata (PSB) está nas mãos do ex-prefeito de Brumado, Eduardo Vasconcelos. A escolha de Eduardo Vasconcelos, que disputava a indicação com o vereador de Salvador Sílvio Humberto (PSB), seria uma estratégia do partido, já que o ex-gestor Municipal transmite uma imagem mais municipalista, de político do interior do estado, mas precisamente da região sudoeste.  Sílvio Humberto tem importância no movimento negro, mas é restrito a Salvador e, por conta disso, na chapa puro sangue do PSB, Vasconcelos ganhou a preferência e aparecerá ao lado de Lídice e da pré-candidata ao Senado Federal, a ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça, Eliana Calmon. A única coisa que poderia mudar o rumo da chapa é se um grande nome de outro partido aceitasse andar ao lado de Lídice. Mas, conforme a própria postulante, nem o PSL e nem o PPL têm pretensões de indicar um nome. “Essa semana vamos compor o conselho político, decidir a chapa e preparar a convenção do dia 14 de junho para receber Marina e Eduardo”, afirmou Lídice ao Bocão News. A convenção Estadual do partido que sacramentará o nome de Lídice da Mata e Eduardo Vasconcelos está marcada para o próximo dia 14 de junho.

Dilma está pessimista com chances de Padilha em São Paulo.

A campanha da presidente da República Dilma Rousseff pela reeleição está pessimista quanto às chances do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha na disputa pelo Governo de São Paulo. A candidatura de ex-ministro foi decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dentro do PT, mas não tem decolado no maior colégio eleitoral do Brasil. Interlocutores da presidente já até admitem que o candidato do PMDB à sucessão de Geraldo Alckmin, do PSDB, Paulo Skaf, presidente da FIESP, pode ser a aposta para um segundo turno. No eleitorado de Dilma Rousseff, Geraldo Alckmin tem quase metade (48%) das intenções de voto. Paulo Skaf (PMDB) aparece com 20%, e Alexandre Padilha, com apenas 8%. Além de ser o menos conhecido pelo eleitor paulista, Alexandre Padilha foi citado na Operação Lava Jato, que prendeu o doleiro Alberto Youssef, por esquema de lavagem de dinheiro.

Márcio França: Marina já tem prazo para deixar o PSB.

O presidente do diretório do Partido Socialista Brasileiro (PSB) de São Paulo, deputado Federal Márcio França, deixou clara a divisão da legenda e culpou a Rede da ex-senadora Marina Silva pela falta de acordo. Segundo ele, a sigla já tem prazo para sair: “Eles preferiram trabalhar como se fossem um outro partido. Assim que registrarem o partido deles, vão embora. E a gente vai continuar no PSB. Onde tiver intersecção, vamos juntos”, disse. Márcio França foi o articulador da derrota aos marineiros no maior colégio eleitoral ao insistir em aliança do pré-candidato a presidência da República, Eduardo Campos (PSB), com o governador Geraldo Alckmin (PSDB). “A ingratidão (com Alckmin) é um ato forte e só teria condições de fazer um movimento contrário se tivesse grande oportunidade. Se Marina fosse candidata em São Paulo, estava resolvido. Fui prefeito de São Vicente e em 2010 declarei voto nela. Foi à cidade em que ela foi mais votada, entre as grandes, porque declarei meu voto. Tenho legitimidade para dizer que nem sempre ela está certa”, disse o socialista. Ele insiste na importância de atrelar a imagem de Eduardo Campos a Geraldo Alckmin no Estado: “Se Campos for para o segundo turno, quem faria o palanque dele no Estado sem essa aliança?”.

domingo, 8 de junho de 2014

Paulo Câmara promete: Água para Pau Ferro, Jupi e Jucati.

No terceiro dia de giro pelo Agreste Meridional de Pernambuco, o pré-candidato da Frente Popular ao Governo do Estado, Paulo Câmara (PSB), assumiu o compromisso de, quando for eleito, realizar um dos desejos mais fortes da população do município de Calçado e região. Ele garantiu que uma de suas primeiras ações será viabilizar a implantação da adutora que levará água da barragem Pau Ferro à cidade, assim como às vizinhas Jupi e Jucati. “Faremos isso logo em 2015. Será uma das primeiras coisas que vamos fazer porque trata-se de uma necessidade emergencial”, justificou. Paulo Câmara foi recebido pelo prefeito de Calçado, José Elias (PP), em um encontro com vereadores, ex-prefeitos e lideranças da região, para apresentar a chapa da Frente Popular e ouvir as demandas da população para inclusão em seu Plano de Governo. “Se o senhor me perguntar qual a principal necessidade desta cidade, eu respondo sem pestanejar: não é a saúde, não são estradas. Calçado tem um clamor por água”, disse o gestor Municipal ao socialista. “Se esta é a prioridade de Calçado, José Elias, então vamos fazer. Nosso compromisso é governar em parceria com os municípios, assim como fez o ex-governador Eduardo Campos (PSB) e Fernando Bezerra Coelho (PSB), que será senador por Pernambuco e nos ajudará em Brasília, trazendo recursos para sanarmos os problemas de abastecimento que ainda permanecem no Estado”, lembrou.

Sem Aécio para ofuscar, Pastor Everaldo aporta em Pernambuco.

De acordo com o Blog da Folha, o mundo da política em Pernambuco estava com as atenções voltadas para a visita nesta segunda-feira (09) do pré-candidato a presidência da República e senador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), segundo colocado nas pesquisas sobre a sucessão Federal. No entanto, o tucano não vem mais, devido ao nascimento de seus filhos gêmeos Julia e Bernardo. Mas o Estado receberá um outro nome da disputa pelo Palácio do Planalto, o Pastor Everaldo Pereira (PSC). Ele desembarca logo mais no Recife e passará o dia de amanhã no cumprimento de agendas ao lado de aliados. Apesar de o seu nome só ter começado a ser apresentado nas pesquisas há pouco mais de dois meses, o Pastor Everaldo já pontua entre 3% e 4%, ficando na quarta colocação na maioria delas. Na última, realizada pelo instituto Datafolha, o presidenciável social-cristão figurou com 4% em um empate técnico com o ex-governador de Pernambuco e pré-candidato ao Palácio do Planalto, Eduardo Campos (PSB), que ficou com 7%. A margem de erro do levantamento foi de 2 pontos para mais ou para menos.